No litoral cearense, um bom exemplo de não desperdício

  Ao contrário da maioria dos Blogs, o Líbero Social não vai falar de crianças. Não que esse assunto não seja importante, mas porque todos os outros estarão falando sobre esse tema. Neste post, o assunto são mulheres, muitas delas mães, que dão um exemplo de sustentabilidade.

  Na pequena cidade de Paracuru, no litoral cearense, uma cooperativa de 30 mulheres produz e comercializa artesanatos baseados no “não desperdício”. O grupo denominado Costurarte, Grupo de Costureiras e Artesãs de Paracuru (GCAP), é certamente um exemplo, de que principalmente fora dos grandes centros é possível ter políticas ambientas com benefício financeiro.
  De acordo com uma entrevista concedida a Agência de Informação Frei Tito para América Latina cidade (Adital), a presidente do GCAP, Conceição Taboa diz que tudo é reaproveitado e feito em casa.
  As sobras de tecido, linha, e outros materiais se transformam em peças como chaveiros, nécessaires e pequenos enfeites para cintos e roupas.
  A iniciativa já dura sete anos e surgiu com o apoio da prefeitura. “Eu já tinha feito parte de uma associação, trabalhei com isso em outros estados, e via que as mulheres de Paracuru faziam produtos belíssimos e só precisavam de uma orientação”, explica a presidente.
  A Costurarte produz cinco tipologias artesanais: bordado, fuxico, crochê, renda e costura. As peças produzidas pela cooperativa, além de vendidas na loja da Costurarte para turistas e moradores locais, também são comercializadas para outros estados e países.
  Pequenas encomendas já foram solicitadas por clientes de Minas Gerais, São Paulo e para nações européias como Suíça, França e Itália.
Para mais informações entre em contato pelo email gcapparacuruce@hotmail.com, ou pelo telefone (85) 9943 6527.

Comente com sua conta do Facebook

comments

DEIXE UMA RESPOSTA