Trabalho escravo: um mal que nunca termina

escravidão-liberoalimentos

  De acordo com as Nações Unidas, cerca de 20 milhões de pessoas foram mantidas em regime de escravidão desde 1999. Trabalho escravo é ser forçado a realizar atividades contínuas sobre pena de ameaças físicas ou mentais. Os escravos trabalham por longas horas, sete dias por semana, recebem um mísero salário (se receberem) para tentarem pagar uma dívida que aumenta a taxa de juros exorbitantes.
 
  Na realidade nua e crua, não há forma de pagar esta dívida, com isto o trabalhador torna-se escravo por uma vida inteira. Muitos destes escravos são crianças que são espancadas e abusadas, caso não cumpram as expectativas do “proprietário”.

 
Você sabe como comprar um produto e saber se ele está livre da escravidão?

  No Brasil o Ministério do Trabalho possui uma lista denominada de “Lista Suja do Trabalho” que contém o nome de empresas e a localidade onde existe o trabalho escravo. A lista é atualizada semestralmente e estão presentes cerca de 220 nomes incluindo pessoas físicas e jurídicas. Para fazer o download da lista, acesse este site e faça o download do arquivo em PDF. Uma relação do Ministério do trabalho mostrou que de 2003 até 2010 foram resgatados 32.986 trabalhadores escravos no Brasil.

Como posso ajudar?

Hillary Clinton, Secretária de Estado
dos E.U.A. apóia
o Chain Store Reaction.

  Existe um site (em Inglês) que engloba diversas empresas que estão ou não preocupadas com o trabalho escravo. Para cobrar destas empresas é simples, basta entrar no site http://chainstorereaction.com/home/ clicar em alguma das empresas que apareçam na tela e enviar um e-mail à elas, cobrando uma resposta da organização para investigar se existe trabalho escravo na cadeia de produção. Verifique se a empresa irá responder seu e-mail.

 

  Observação: a mensagem já está previamente escrita, basta colocar seu nome, e-mail e país para enviar

Comente com sua conta do Facebook

comments

DEIXE UMA RESPOSTA