Café no papel!

Não há nada melhor que começar o dia comendo um pãozinho com manteiga e tomar um café quentinho. Porém, guardar o resto da café que sobra no bule não é uma boa ideia. O gosto de café requentado não é lá muito saboroso.

Contudo, esse resto de café pode ser utilizado para imprimir documentos. Isso mesmo! Por incrível que pareça até isso pode ser reciclado e não ir para o lixo.

O inventor é o coreano Jeon Hwan Ju, que batizou a impressora de RITI Coffee. O funcionamento da impressora é manual. É necessário ajustar a folha de papel na máquina, encher o cartucho especial com o café (ou chá) e movimentar o cartucho de um lado para o outro. Pronto! Sua impressão está completa.

É lógico que a impressora ecológica não tem a melhor impressão do mundo. A única cor é um marrom puxando para o preto, a impressão não é regular (pode haver falhas) e o volume de impressão também é reduzido.

Infelizmente ainda não há um preço da máquina para a venda, uma vez que apesar de ser lançada em 2009, ainda é preciso passar por provas até chegar no mercado. O fato é que criatividade + inovação + sustentabilidade é a fórmula do futuro.

Para os descrentes sobre a importância dessa invenção, aí vão alguns número bastante importantes:

– Em média, você joga 58% de tinta do cartucho no lixo

– Cerca de 270 milhões de cartuchos de impressão acabam em aterros sanitários

– Tinta de impressora é feita com base de petróleo, assim é necessário aproximadamente 50 mil toneladas de ouro negro por ano para este fim

Sem falar, que durante a fabricação, são produzidos produtos químicos perigosos chamados Compostos Orgânicos Voláteis ( VOCs – sigla em inglês ). Estes poluentes afetam o ar e os lençois freáticos, o que gera inúmeras doenças.

Você toparia usar uma impressora de café?

Até a próxima!

Fonte de dados: Hayworth, UConn Recycling e Billera

 

Comente com sua conta do Facebook

comments

DEIXE UMA RESPOSTA