São Paulo vive dia de caos

Foto:Yuri Bittar

Não há como não sentir um gostinho de alegria em ver milhares de motoristas xingando o trânsito de São Paulo. Não é que seja bacana vê-los irritados, muitos deles com problemas de saúde, mas é interessante, como de certa forma eles estão criticando a eles mesmos.

A greve dos metroviários e dos ferroviários foi tranquila, se repararmos que alguns trechos estavam funcionado: a linha amarela, a linha verde entre as estações Ana Rosa e Clínicas, linha azul, entre as estações Ana Rosa e Luz, linha vermelha, entre as estações Mooca e Santa Cecília e linha lilás, entre as estações Capão Redondo e Largo Treze. Sem falar que a linhas da CPTM, Diamante, Esmeralda e Turquesa funcionaram normalmente.

A suspensão do rodízio de veículos nesta quarta-feira (23) só mostrou ao paulistano como os carros são um câncer na cidade. Para se ter um idéia, as 10h de ontem São Paulo alcançou 249 km de lentidão, o que representa 28,7% dos 868 km de vias monitoradas, de acordo com a Folha Online.

Em vários pontos da cidade, como na estação Tucuruvi e na estação Itaquera, por exemplo, milhares de pessoas se revoltaram contra a greve. A polícia agiu, tentando conter as manifestações, mas foi inevitável a sensação de insegurança.

O caos instaurado na capital paulista mostra o quanto os paulistanos são dependentes do transporte público, e isso é ótimo! Cabe ao Governo do Estado criar novas alternativas de transporte, que definitivamente não deve seguir o modelo sobre as quatro rodas.

Os motoristas devem ter a consciência, que o glamour dos automóveis não está mais entre nós há pelo menos 25 anos. Está mais do que na hora de priorizar as bicicletas, os monotrilhos, metrôs, trens, ônibus, patinetes, skates, patins, seja lá o que for. Mas os carros já não podem dominar a cidade e isso foi provado ontem.

É muito importante, que fique bem claro, que o transporte público na capital paulista, assim como em boa parte do Brasil, é precário e muitas vezes desumano. Porém, a atual matriz de transporte priorizando os automóveis só atravanca a construção de mais linhas de metrô, ciclofaixas e assim vai.

Depois de muitas tratativas os metroviários de São Paulo aceitaram a proposta de reajuste de 6,17% feita na tarde desta quarta-feira pelo Metrô, e decidiram encerrar a greve iniciada na madrugada de ontem.

Até a próxima!

 

Comente com sua conta do Facebook

comments

DEIXE UMA RESPOSTA