Quando o homem interfere para o bem na natureza

Bom, neste caso não é o homem, mas sua capacidade de tirar o melhor proveito da natureza. Cerca de 40 castores hiperativos, oriundos da Alemanha e Rússia, chegaram no início deste ano em Ulan Bator, na Mongólia, para construir barragens que ajudem a descontaminar  o rio Tuul, principal manancial da capital da Mongólia, que tem 1,2 milhão de habitantes.

Eles ocuparão o vácuo deixado pela população nativa de castores, que minguou nos últimos anos. Os roedores vão ser aclimatizados e reproduzidos em cativeiro antes de sua introdução no rio Tuul, o que poderá acontecer só no ano que vem.

A expectativa da Mongólia é que eles construam barragens que elevem o nível do rio e aumentem a irrigação dos solos adjacentes. Entendo que isto também vai ajudar a diluir os poluentes urbanos, agrícolas e industriais.

Assista o documentário abaixo produzido pela BBC (em inglês), que mostra como os castores trabalham. De acordo com informações do filme esses castores são capazes de construir barragens de até 1,5 quilômetros.

Isso sim é que desenvolvimento sustentável! Um ótimo exemplo!

 

Até a próxima!

 

Comente com sua conta do Facebook

comments

DEIXE UMA RESPOSTA