Vida sim, Droga não!

Ficamos a refletir como a natureza desenvolve todos os estímulos necessários para a preservação da vida. Veja a harmonia de seus movimentos, à cumplicidade de suas inserções, as diversificadas formas de adaptação para sobreviver às efetivas e consistentes modificações realizadas pelo homem. É uma luta constante, pela preservação da vida.

Hoje, é lúcido trabalhar todos os conhecimentos necessários para a preservação da natureza. Congressos são realizados, compromissos acordados e iniciativas padronizadas com um esforço direcionado da manutenção da vida em nosso planeta.

O homem parte integrante deste complexo relacionamento, é responsável direto pelo sucesso da manutenção da vida. Sua capacidade de decidir, direcionar e construir as diversas possibilidades do nosso futuro lhe compete à lucidez das consequências de suas atitudes.

Precisamos compreender a necessidade da manutenção da saúde mental do ser humano. Assim, ele interage com a responsabilidade de relacionamentos saudáveis e sustentáveis com um ativo fundamental na homeostase da vida.

Como podemos ser favoráveis a descriminalização das drogas, como podemos ser favoráveis a destruição do ativo mais importante da natureza, a saúde mental do homem, de onde sai todas as decisões de preservação da vida.

Sabemos que a substância psicoativa interfere diretamente na cognitividade do ser humano, levando-o a alterações comportamentais que traduzem em sofrimento pessoal, familiar e social. Suas funções laborais e intelectuais desaparecem na melhor fase de sua vida e a morte acontece prematuramente.

Ser favorável a descriminalização das drogas é ser favorável a morte, é permitir jovens indefesos sucumbir na melhor fase de sua vida, é acabar com a esperança de famílias que lutam desesperadamente em dias melhores para a saúde coletiva. Este posicionamento é o mesmo que permitir o uso indiscriminado de medicações tarja preta e de outras substancias prejudiciais a saúde.

Fico perplexo de se lutar por posicionamentos que se encontra na contramão da atualidade. Enquanto lutamos pela sustentabilidade de nosso planeta para preservar a vida, grupos que se dizem naturalista procuram promover a agressão ao organismo humano, é realmente incompreensível.

Lutaremos sempre pela vida, esta é a única razão de viver. Vida sim, Droga não.

Texto escrito pelo dr. Urânio Paiva Ferro, Médico formado pela UFAL com especialização na UNIFESP.

 

Comente com sua conta do Facebook

comments

DEIXE UMA RESPOSTA