2012 e suas histórias – retrospectiva

liberosocial1O ano de 2012 foi marcado pelas pela discussão do desenvolvimento social e sustentável, pelos Jogos Olímpicos, pelas eleições municipais e na presidência dos Estados Unidos e pela fragilidade da segurança no Estado de São Paulo. Em cada um desses fatos o Libero Social marcou presença com textos críticos, muitas vezes ácidos, mas com o objetivo de informar influenciado por uma ótica pouco convencional.

Em fevereiro, quatro textos tiveram muitos acessos e até geram algumas polêmicas. O primeiro, “Mônica Waldvogel critica uso de bikes e debocha dos animais” é revoltante, depois vieram “Conheça as empresas que realizam testes em animais“, que deixou muita gente decepcionada, “Obsolescência Programada: você não pensa nela ao ir no supermercado“, que trouxe a tona um assunto tão maléfico e pouco discutido. Por último, “Carnaval: a festa da poluição“, que trouxe a discussão o tema turismo X lixo.

Em março, a gente apresentou um projeto nosso, do Libero Social e do blog Verde Filosofia. Conseguimos mostrar que é sim possível, reunir pessoas para dar o exemplo. Recolhemos lixo na beira d’água das praias de Santos. “Mar, sol e muito lixo. Só você pode fazer a diferença!“, tem até um vídeo pra você assistir de novo.

De março para junho, “O que esperar para os próximos 20 anos?” mostrou uma visão crítica do evento sobre desenvolvimento sustentável mais importante dos últimos 20 anos. Depois veio “Banho quente com economia de água e energia“, com uma dica muito boa sobre economia de água e se tornou um dos líderes de acesso.

Em julho, mês dos Jogos Olímpicos, publicamos “O verdadeiro exemplo de Londres para o mundo” e divulgamos, que além da infraestrura, Londres tem outras os aspectos a nos ensinar, principalmente como sociedade organizada.

Se houve um mês foi polêmico, esse mês foi agosto. Dois assuntos, que são muito duros de ler para algumas pessoas, mas são as velhas verdades que precisam ser ditas. “Pedágio é a solução para o trânsito paulistano“, escrito por Bruno Piesco e “Sou contra a legalização da maconha“, escrito por nosso colaborador Bispo Filho.

Outubro foi o mês das eleições, tanto nos municípios brasileiros, quanto na presidência dos Estados Unidos. Pelo Brasil, o texto “Um dia que vale por quatro anos” foi uma análise fria sobre a importância do voto. Já “Enquanto Sandy visita os EUA, Obama e Romney mantém silêncio sobre o clima” evidenciou as fragilidades dos candidatos.

Uma das vantagens de não escrever para a grande imprensa, é que não temos pudores ao publicar determinados conteúdos. O post “Índios Guarani Kaiowá: genocídio anunciado” divulgou um tema que, em nenhum momento foi explicado ou replicado pelos principais veículos de comunicação. Esse texto também tem uma curiosidade, a foto de um índio morto foi motivo de muita discussão editorial, mas a gente, do Libero Social, entende que as vezes, para informar é preciso chocar.

No mesmo mês de outubro, o Estado de São Paulo viveu momentos de muita tensão, que merecia uma análise consistente sobre a violência. Com todo o respeito aos outros sites, mas “A insegurança paulista” foi se não a melhor, uma das melhores análises sobre a segurança de São Paulo.

O último texto de mais acessos no Libero Social foi “Fuleco: o nosso mascote fuleiro“. Na realidade mais que uma análise, foi um grito de revolta a escolha do nome do mascote brasileiro para a Copa do Mundo de futebol. Convenhamos que o nome é extremamente ridículo.

Ufa! Depois de um ano tão agitado, o texto não podia ser diferente, tinha que ser grande. Parabéns por ter lido até aqui. Muito obrigado por ter nos acompanhado! Eu e o Bruno nos sentimos muito orgulhosos com os textos que publicamos até hoje.

Muita coisa boa estar por vir!

Até a próxima!

Comente com sua conta do Facebook

comments

DEIXE UMA RESPOSTA